Horário de atendimento


De segunda a sexta de 10h às 20h | Sábado de 10h ás 14h

Você já ouviu falar de Síndrome da Fim do Ano?

Publicado por Adriana Santos em 28 de dezembro de 2017

Com a chegada das festas do fim de ano, a maioria das pessoas sente um misto de sentimentos. Além do cansaço por todo um ano de trabalho e o estresse dos preparativos das festividades, ainda ficamos descontentes ou eufóricos por ter conquistado ou não tudo que planejamos no período que se encerra.

A fadiga e o estresse não poupam ninguém. Quem vai às comprar enfrenta situações que colocam a paciência e a tranquilidade à prova. Quem viaja tem que encarar o trânsito, a maratona de arrumar as malas, aeroportos e rodoviárias lotados, além de enfrentar burocracia. Quem atua no comércio, no último mês do ano trabalha dobrado.

É nesse momento de correria e mil coisas para pensar, além do cansaço de um ano inteiro de atividades intensas, que o corpo pede socorro. Diante de tantos conflitos diários, ele pode sinalizar que precisa de cuidado e sossego. Por isso, devemos ficar atentos a nos mesmos. Os resultados, em geral, são sérias consequências para a saúde corporal.

Sinalização do corpo

O estresse é o primeiro sinal dado pelo corpo. É uma forma do organismo se defender de toda essa agitação e modificação emocional pelo qual passamos. Nesses momentos, a pressão arterial aumenta, a respiração acelera, pés e mãos se tornam frios. Desaparece a sensação de fome, pois o organismo precisa de toda a energia para lutar. Junto a essas reações, o corpo descarrega uma série de substâncias, entre elas um hormônio chamado adrenalina.

O corpo começa então a reagir a essa adrenalina excessiva. Os primeiros sintomas, em geral,  são dores de cabeça, enxaqueca, bruxismo (ranger os dentes durante a noite), pressão alta, dores musculares, irritabilidade e queda de cabelo. Na segunda fase, o corpo reage aos sintomas disfarçando-os. A terceira acontece de uma hora para outra. É nesse momento que surgem os distúrbios mais sérios e complicados, como: síndrome do pânico, depressão, úlcera, hipertensão e problemas cardíacos.

Com a emoção aflorada nessas datas, junto à correria para finalizar um ano e iniciar o outro sem nenhuma pendência, as doenças se manifestem com mais frequência. É o que os especialistas chamam de estresse de ocasião ou síndrome de síndrome de fim de ano.

A melhor dica de evitar a “Síndrome de Fim de Ano” é relaxar. Se os sintomas persistirem, procure ajuda médica e psicológica.